Tag CMMI

CMMI – Boas práticas no desenvolvimento e implementação do ERP CIGAM

Marcelo Petry

Atualmente a CIGAM Corporativa mantém um projeto interno, nominado “CIGAM Rumo ao CMMI Nível 3”, em que foi instituído um grupo de trabalho onde cada integrante ficou responsável por alguns requisitos, escolhidos de forma integrada com a função que o integrante ocupa na empresa, com o intuito preparar-se para a certificação do nível 3 de maturidade do CMMI.

Os principais objetivos desta fase do projeto são: elevar o nível de maturidade das metodologias MDC (Metodologia de Desenvolvimento CIGAM) e MTC (Metodologia de Testes CIGAM), com base nas práticas do CMMI nível 3, trabalhando aspectos como a gestão do conhecimento e a gestão integrada de projetos com métodos ágeis, como forma de aumentar a satisfação da Rede CIGAM, lembrando que na fase anterior implementamos o escritório de projetos (PMO) para implementação do ERP CIGAM. Mas, afinal, o que é este tal de CMMI?

Capatibility Maturity Model Integration ou, em português, Modelo de Capacidade e Maturidade Integrada é o que conhecemos por CMMI. O CMMI é um modelo de referência que contém práticas (genéricas e específicas) para desenvolvimento, manutenção e implementação de software e tem, portanto, relação direta com os conceitos de qualidade nos processos de software, a partir da capacidade e maturidade que a empresa possui para desempenhar de forma eficiente e eficaz os processos para o desenvolvimento, manutenção e implementação de software. Foi desenvolvido pelo SEI (Software Engineering Institute) da Universidade Carnegie Mellon com base nas melhores práticas de trabalho, identificadas, estudadas e medidas a partir de longas pesquisas.

 

O CMMI tem 5 níveis que determinam a maturidade da empresa, sendo cada estágio uma base para o próximo. É como uma escada que deve ser subida degrau a degrau, conforme a capacidade e a maturidade da empresa. Abaixo podemos destacar os 5 níveis de maturidade do CMMI e o que, de forma sucinta, cada degrau representa, conforme imagem abaixo:

 

Nesta representação, a maturidade é medida por um conjunto de processos, sendo necessário que todos os processos até o nível requerido atinjam o nível de maturidade necessário para que a empresa seja certificada naquele nível do CMMI. São acumulativos e representam estágios que devem ser alcançados até o nível máximo de maturidade, onde o foco passa a ser a manutenção e melhoria contínua. Na imagem abaixo podemos verificar todas os processos de cada nível:

 

Algumas etapas compõem as exigências para este modelo. São elas: auto-conhecimento e capacitação, que consistem na compreensão da real situação atual e as melhorias necessárias, o  planejamento, que abrange a equipe de trabalho, execução, validação, disseminação,  momentos em que os processos recebem a implantação das práticas CMMI e, por fim, vêm as etapas de homologação e encerramento, que abrangem a validação das lições aprendidas. Na seqüência, segue o propósito de cada processo, segundo o manual do CMMI:

 

Ø  Nível 2 – Gerenciado: No nível 2 do CMMI, os processos são caracterizados por Projeto e as ações são freqüentemente reativas.

Gestão de Requisitos: O propósito da Gestão de Requisitos (REQM) é gerenciar os requisitos dos produtos e componentes de produto do projeto e identificar inconsistências entre esses requisitos e os planos e produtos de trabalho do projeto.

Planejamento de Projeto: O propósito do Planejamento do Projeto (PP) é estabelecer e manter planos que definam as atividades de projeto.

Monitoramento e Controle de Projeto: O propósito do Monitoramento e Controle do Projeto (PMC) é proporcionar um entendimento do progresso do projeto, de forma que ações corretivas apropriadas possam ser tomadas quando o desempenho do projeto desviar significativamente do plano.

Gestão de Acordo com Fornecedores: O propósito da Gestão de Acordo com Fornecedores (SAM) é gerenciar a aquisição de produtos de fornecedores.

Medição e Análise: O objetivo da medição e análise (MA) é desenvolver e sustentar a capacidade de medições utilizada para dar suporte às necessidades de gerenciamento de informações (indicadores).

Garantia da Qualidade de Processos e Produto: O propósito da Garantia da Qualidade de Processo e Produto (PPQA) é munir a equipe e a gerência com uma visão clara sobre os processos e seus produtos de trabalho associados.

Gestão da Configuração: O propósito da Gestão de Configuração (CM) é estabelecer e manter a integridade dos produtos de trabalho, utilizando identificação de configuração, controle de configuração, balanço de configuração e auditorias de configuração.

 

Ø  Nível 3 – Definido: No nível 3 do CMMI, os processos são caracterizados para Organização e são proativos.

Desenvolvimento de Requisitos: O propósito do Desenvolvimento de Requisitos (RD) é produzir e analisar os requisitos de cliente, de produto e de componente de produto.

Solução Técnica: O propósito da Solução Técnica (TS) é projetar, desenvolver e implementar soluções para requisitos. Soluções, designs e implementações englobam produtos, componentes de produto e processos de ciclo de vida relacionados ao produto isoladamente ou a combinações de produtos quando apropriado.

Integração de Produtos: O propósito da Integração de Produto (IP) é montar o produto a partir de componentes de produto, garantir que o produto integrado execute as funções de forma apropriada e entregar o produto.

Verificação: O propósito da Verificação (VER) é assegurar que os produtos de trabalho selecionados atendem aos seus requisitos especificados.

Validação: O propósito da Validação (VAL) é demonstrar que um produto ou componente de produto atende ao seu uso pretendido quando colocado em seu ambiente alvo.

Foco no Processo Organizacional: O propósito do Foco no Processo Organizacional (OPF) é planejar, implementar e implantar melhorias do processo organizacional com base na compreensão dos pontos fortes e pontos fracos atuais dos processos e dos ativos de processo da organização.

Definição do Processo Organizacional + IPPD: O propósito da Definição do Processo Organizacional (OPD) é estabelecer e manter um conjunto de ativos de processo da organização e padrões de ambiente de trabalho disponíveis para uso. Para IPPD, Definição do Processo Organizacional + IPPD cobre também o estabelecimento de regras e guias organizacionais que possibilitam a condução de trabalhos realizados por equipes integradas.

Treinamento Organizacional: O propósito do Treinamento Organizacional (OT) é desenvolver as habilidades e o conhecimento das pessoas para que elas possam desempenhar seus papéis de forma eficiente e eficaz.

Gestão Integrada de Projetos + IPPD: O propósito da Gestão Integrada de Projeto (OPD) é estabelecer e gerenciar o projeto e o ambiente dos stackeholders relevantes de acordo com um processo integrado e definido que é adaptado a partir do conjunto de processos padrão da organização. Para IPPD, a Gestão Integrada de Projeto + IPPD cobre também o estabelecimento de uma visão compartilhada para o projeto e o estabelecimento de equipes integradas que irão cumprir os objetivos do projeto.

Gestão de Risco: O propósito da Gestão de Risco (RSKM) é identificar potenciais problemas antes que ocorram. Para isso, as atividades de tratamento de risco podem ser planejadas e colocadas em prática quando necessário, durante a vida do produto ou do projeto, para mitigar impactos indesejáveis na obtenção dos objetivos.

Análise de Decisão: O propósito da Análise de Decisão é analisar decisões possíveis usando um processo de avaliação formal que avalia alternativas identificadas com relação a critérios estabelecidos.

 

Espero que, a partir deste artigo, tenha ajudado no entendimento do que é o CMMI, enquanto modelo de referência com boas práticas no desenvolvimento e implementação de software. Fica a promessa de criação de novos artigos sobre o mesmo tema, onde então relacionarei cada processo do CMMI com as atividades práticas da CIGAM Corporativa no desenvolvimento e manutenção do ERP CIGAM.

 

Marcelo Eduardo Petry
Gerente de Produto e Tecnologia / Cigam Software Corporativo