O Controle da Qualidade no Desenvolvimento do ERP CIGAM

Danielle Both

Já faz muito tempo que, no âmbito das empresas de desenvolvimento de software, se vem falando em qualidade. Mas o que é qualidade? Segundo Pressman [1], a qualidade de software é a conformidade a requisitos funcionais e de desempenho explicitamente declarados, a padrões de desenvolvimento claramente documentados e a características implícitas que são esperadas de todo software profissionalmente desenvolvido. Esta definição enfatiza três pontos chave: os requisitos de software; padrões especificados; e um conjunto de requisitos implícitos.

A CIGAM ao longo destes 25 anos cresceu muito, soube aproveitar as oportunidades e se adaptar a todas as mudanças de mercado, ou seja, soube se reinventar. De melhoria em melhoria tornou-se uma empresa sólida, externa e internamente. A cada mudança, havia a preocupação com os processos, como adaptá-los às novas situações, buscando modelos de qualidade consagrados, não para conquistar a certificação, mas para garantir que se transformassem em vantagens para nossos clientes e parceiros da Rede CIGAM tornando, assim, a busca pela qualidade um processo contínuo e sustentável.

Seguindo estas premissas, podemos afirmar que ter qualidade é conseguir unir o know-how do cliente e da CIGAM no momento de especificar os requisitos de sistema e entregar ao cliente exatamente o que ele necessita, nem mais, nem menos. É este o conceito de qualidade aqui na CIGAM, mas quando amamos o que fazemos, não basta ter os conceitos, precisamos vivê-los. “Vivemos” a qualidade diariamente e entendemos que ela é mais que atender o que está detalhado no documento de levantamento de requisitos.

Para existir como Controle da Qualidade na CIGAM e agregar valor ao produto é necessário, além de atender os requisitos dos clientes, garantir a integridade do sistema como um todo e atender os objetivos e metas da empresa, ou seja, de forma alinhada com a missão, estratégia e políticas definidas por nosso planejamento estratégico.

Desta forma, uma das questões, intimamente ligada à qualidade, que norteia as ações da área de Produto e Tecnologia é a Política de Desenvolvimento CIGAM. Ela é definida anualmente e, para 2011, de acordo com a avaliação do mercado e indicadores de desempenho do produto e da empresa, os requisitos da política de desenvolvimento são: Integridade; Usabilidade; Desempenho; e Documentação. Abaixo uma imagem de divulgação da nossa política:

Garantir a integridade ganhou nova interpretação nos últimos anos, pois com as amarrações legais exigida pelos governos (municipais, estaduais e federal), a partir da centralização e digitalização de todas as informações é necessário que todas as operações da empresa estejam coesas, desde a entrada da matéria prima, até o controle de uma posição financeira e contábil, enfim, mais do que garantir a integridade dos dados, é necessário garantir a rastreabilidade de todas as operações da empresa. É esta a tônica que damos para o quesito INTEGRIDADE.

No entanto, precisamos criar rastreabilidade e manter a integridade do sistema de forma com que nosso segundo quesito da política, a USABILIDADE, não seja afetada. Isto nos faz trabalhar por soluções cuja interface seja agradável, bonita e amigável, garantindo o nosso lema “Sua vida mais fácil”. Ainda na operação do sistema, trabalhamos muito fortemente a questão DESEMPENHO, pois o que move o mundo hoje não é o fato de ser o maior, mas o de ser o mais ágil, então, é fundamental que o ERP CIGAM acompanhe isto, apresentando boa performance durante a execução de suas rotinas.

Por fim, como forma de garantir que a Rede CIGAM possa continuar crescendo e evoluindo de forma segura e sustentável, também trabalhamos o quesito DOCUMENTAÇÃO, para que o conhecimento das pessoas e as definições das funcionalidades do sistema fiquem registrados de forma adequada e possam ser consultadas quando necessário. Nos últimos anos temos evoluído muito a documentação técnica do sistema, principalmente, o manual do sistema, com destaque especial à sessão “Como fazer”, pois é com estas informações que os usuários conseguem, na prática, fazer o uso do sistema na sua plenitude, sem que para isto tenha que consultar o suporte técnico. É importante salientar que estas informações também são base para a construção dos EaDs, fornecidos para toda a Rede CIGAM a partir do Setor de Educação.

Contudo, como podemos avaliar, o primeiro desafio, e um dos maiores da equipe do Setor de Controle da Qualidade, é garantir que os requisitos definidos nesta política sejam cumpridos, pois além da responsabilidade pelo atendimento dos requisitos e pela qualidade geral do produto, o setor também é responsável pela comunicação das questões que envolvem as mudanças no ERP CIGAM, somos o elo entre todas as áreas e parceiros da Rede CIGAM.

Para não me alongar demais, falaremos sobre os processos e a Metodologia de Testes Cigam (MTC) no próximo artigo.

Até lá!

Danielle Glória Almeida Both
Coordenadora do Controle de Qualidade /Cigam Software Corporativo


Título2 Comments

  1. Celso Webber disse:

    Prezada Danielle,
    Gostaria que me contasse um pouco como vocês mensuram o fator “qualidade” no seu produto, isto é, com base em quais informações podem concluir que o CIGAM é um produto que possui boa qualidade?
    Obrigado, Celso.

  2. Danielle Both disse:

    Bom dia Celso.

    A empresa está alinhada aos conceitos do CMMI nível 3. Neste nível, geramos vários indicadores para todas as áreas da empresa. Estes indicadores são extraídos a cada meia hora da nossa base de dados e apresentados em painéis que ficam disponíveis em todos os setores da empresa. Posso citar como exemplo, a Pesquisa de Satisfação que é enviada à todos os clientes que solicitam atendimento ao Suporte. Nela o cliente responde sobre a qualidade do produto e a qualidade do atendimento. Bimestralmente todos estes indicadores são compilados e são utilizados no BSC como ferramenta para o nosso Planejamento Estratégico. Além disto, implantamos Scrum no setor Desenvolvimento e com isto, reduzimos muito a quantidade de manutenções no sistema e o tempo de envolvimento nelas, ou seja, quando ocorrem são situações simples e pontuais. Todas estas ações aumentaram a satisfação dos nossos clientes e conseguimos 99,8% de retenção na carteira de clientes.

Novo Comentário