Quando a ferramenta de desenvolvimento ajuda na escolha de qual ERP vender

shutterstock_146519993-634x0-c-defaultQuando consultores de TI decidem abrir uma empresa para vender e implantar ERP, geralmente a escolha passa apenas por selecionar o produto mais conhecido e com maior presença de mercado para revender, mas saber qual é a ferramenta usada para o seu desenvolvimento também é importante, porque os novos empreendedores não querem oferecer aos clientes um sistema que seja uma “colcha de retalhos”, que não tenha capacidade de evolução e não possua facilidades para realizar ajustes e customizações.

Como o mercado possui ótimas ferramentas de desenvolvimento, a opção pode pender mesmo para o ERP em si. Isso se a nova empresa de TI não pretenda, definitivamente, ter o trabalho de desenvolver o seu próprio produto. Então, escolher um bom ERP já pronto feito com a melhor ferramenta pode ser a vantagem competitiva do novo negócio.

Para Fábio André Mattes, e Alessandro de Oliveira Parra, fundadores da System Par, do Paraná, e que nasceu justamente para vender ERP, a escolha do ERP com uma boa ferramenta de desenvolvimento levou em conta o fato de as empresas serem muitos diferentes entre si e com processos distintos. Nesse cenário, a customização é sempre inevitável, e sem esta capacidade o software de gestão a ser oferecido pode trazer mais problemas que solução, “tanto para o cliente como para a equipe da System Par, que teria que se virar para dar conta do recado”, destaca Mattes.

Antes de inaugurar a System Par, os sócios trabalhavam com um dos ERPs líderes do mercado nacional. E por conhecer este produto muito bem, sabiam que não era a melhor opção de mercado, por vários motivos, mas também pelo fato de ter sido construído ao longo dos anos com muitas linguagens distintas, fragmentado. O jeito era mesmo escolher algo novo, mais moderno, que não atrapalhasse o trabalho de customização.

Depois de pesquisar 17 opções de sistemas concorrentes, o ERP Cigam se mostrou como a melhor escolha, mas os sócios queriam saber mais sobre a ferramenta usada para criá-lo. Não conheciam a Plataforma de Aplicações Magic xpa (naquela época chamado de Magic eDeveloper) e nova sondagem se fez necessária, segundo conta Mattes. “Ficamos conhecendo a história do ERP Cigam, que seu nome é Magic de trás para frente, que antes, a primeira versão era feita em Clipper, que os sócios da então Abyz Informática (hoje CIGAM) perceberam ser necessário contar com um parceiro com uma visão de longo prazo, com uma tecnologia em constante evolução e preparada para enfrentar o futuro.

352402-625x325Os novos empreendedores perceberam que a ferramenta Magic superava as demais em produtividade, curva de aprendizado e facilidades de desenvolvimento da mesma funcionalidade. “Percebemos que levaria 6 vezes menos tempo para criar as mesmas funcionalidades com o Magic xpa do que em outras plataformas e o custo final seria também muito menor com os projetos. Isso nos deu uma grande vantagem competitiva, quando comparamos o ERP Cigam e o Magic com os concorrentes”, destaca Mattes.

“Hoje, quando oferecemos o ERP Cigam para os clientes, sempre enfatizamos este aspecto da constante evolução do sistema e da sua ferramenta. Isso é um diferencial muito grande porque o cliente não quer ser “abandonado no meio do caminho”, destaca o diretor comercial da System Par. “Muitos clientes, durante o processo de seleção, nos fazem esta pergunta e também passaram a questionar os demais fornecedores com base em nossa argumentação o que vem ajudando na decisão pelo Cigam”, conta ele.

Com o Magic, a System Par desenvolveu soluções de negócios para empresas de segmentos que o ERP Cigam não atendia plenamente, como por exemplo, soluções para uma empresa que atua com incorporação imobiliária a partir de funcionalidades que o ERP não possuia nativamente, mas que foram facilmente criadas com o Magic xpa. Fábio André Mattes conta que cerca de 90% das novas funcionalidades, neste caso, foram criadas com o Magic.

Novo cenário: integração e mobilidade crescem

magic-xpa-31-w-300x192Hoje as empresas estão buscando indicadores de gestão e desempenho (BI, por exemplo), mobilidade e integração, segundo analisa Fábio André Mattes. Ele lembra que há um bom tempo, as empresas usavam diversos sistemas para inúmeras atividades e rotinas e estes eram sistemas que não conversavam entre si, o que criava muitas dificuldades na comunicação e troca de informações entre as aplicações. A Integração ocorria na base da troca de arquivos texto (txt) e planilhas.

Como o nosso ERP Cigam é facilmente customizável e é nativamente capaz de impulsionar a integração com a ferramenta Magic (que possui uma plataforma dedicada de integração), o Cigam teve grande aceitação e aumentou sua rede de parceiros de desenvolvimento. Por isso, o sistema é bastante abrangente e capaz de atender a todos os segmentos de mercado, e com as customizações, não deixa de atender a todas às necessidades do cliente. Certamente é devido à excelente base tecnológica fornecida pela Magic, que isso é possível”, enfatiza ele. Mattes revela ainda que a System Par tem conduzido vários projetos de integração entre o Cigam e plataformas de BI de mercado.

Quando à mobilidade, o executivo conta que com o aumento do número de dispositivos móveis usados nas empresas, as ferramentas de BI também são impulsionadas para que os executivos das empresas possam acessar informações dos sistemas de gestão de qualquer lugar e a qualquer momento, bastando estar conectado à Internet. “A expectativa é que a mobilidade se mantenha em crescimento nas empresas. O Magic, por exemplo, permite criar apps empresariais com capacidade in-Memory, Data Grids, que facilitam a transação de dados em tempo real, para que a informação possa ser processada mais rapidamente do que era possível há algum tempo.

 

Novo Comentário